Buscar
  • Thiago Giglio | Playfirst

Felicidade como metodologia de gestão

Olhar a imagem abaixo ajuda a entender porque Felicidade Interna Bruta é um tema estratégico e objetivo. Diferente da busca pela felicidade pessoal ou da prática de soft-skills em seu dia a dia, a Felicidade Interna Bruta é um índice de desenvolvimento social e coletivo aprovado pela ONU, que visa promover estudos, análises e ações capazes de melhorar as condições de felicidade em países ou empresas. Ou seja: Felicidade Interna Bruta é uma metodologia de gestão, capaz de integrar indicadores responsáveis por uma vida mais equilibrada para o coletivo.


Agora, que tal trazermos este olhar analítico dos 9 domínios da Felicidade Interna Bruta para o cenário atual que estamos vivendo com o Covid-19? Quais dos 9 domínios do FIB são mais relevantes para analisar a situação? Quais deles foram enfraquecidos? Quais estão se mostrando como forças ocultas?

Como o tema é vasto (mas este post é curto), faremos uma breve análise através de 1 domínio que foi altamente transformado: o USO DO TEMPO.

O tempo é o nosso recurso mais valioso. A maneira como nos comportamos e pensamos sobre o passado, presente e futuro, e a nossa própria concepção de tempo, interfere em diversos aspecto de nossas vidas - nossos relacionamentos, carreiras, sucessos e fracassos, as decisões que tomamos para nós e outras pessoas, e a nossa experiência como humanidade.

Uma pesquisa (Zimbardo e Boyd, 2008; Levine, 1997) já demonstrou que a profundidade dos nossos comportamentos em relação ao tempo interferem nos resultados ao nosso redor - nossa cultura, geografia, clima, religião, classe social, nível educacional e estabilidade política e econômica. Daí, entende-se a dimensão de importância deste domínio, o qual refere-se diretamente à maneira que as pessoas se relacionam com o tempo em suas vidas, sendo trabalhado por 2 indicadores:

· Tempo em atividades: contempla o tempo que passamos trabalhando, tempo com a família, tempo para estudos, tempo com alimentação, tempo para prazeres pessoais, ou seja, o tempo dedicado nas atividades diárias e sobre o que é valioso para o indivíduo e sociedade.

· Tempo de Sono: o período dedicado a dormir é um indicador interessante e pertinente, uma vez que além de mensurar o tempo que a pessoa se propõe a cuidar de si, também estabelece relação com indicadores do domínio de SAÚDE.

Ambos indicadores do USO DO TEMPO dão visibilidade de como atuamos sobre o tempo e como nossa percepção emocional sobre nós mesmos, e os grupos nos quais estamos inseridos, podem ser promovidos positivamente.

Quando aproveitamos o tempo com algo que julgamos importante, sentimos que somos eficientes. Que realizamos. Quando nos perdemos no tempo ou em nossas prioridades, sentimos que estamos ficando pra trás ou que não estamos realizando. E aí, mora a profundidade de explorar este indicador: A REALIZAÇÃO.

Usar bem o tempo, constrói uma jornada de realização. Seja ela pessoal ou social. E está diretamente ligada ao indicador de “Satisfação com a vida” presente no domínio de BEM-ESTAR PSICOLÓGICO.

Esta conexão entre domínios pode ser percebida também quando relacionamos o indicador de “Tempo em atividades” com o indicador “Família”, presente no domínio de COMUNIDADE. Quando este se apresenta fortalecido e com bons índices, podemos assumir nas mais das vezes que há uma dedicação de tempo para nutrir as relações familiares.

Parece simples, mas dentro de contextos sociais e organizacionais, este mapeamento exige pesquisa e um estudo profundo para estabelecer planos de ação concretos. E é observando os indicadores mais relevantes para cada situação que identificamos onde deve-se dedicar mais investimento.

O cenário Covid-19 é diferente de tudo o que já vivemos e reflete algumas situações que podem ser analisadas: todos estamos sem sair de casa por tempo indeterminado por causa de um vírus e mesmo assim, trabalhamos, cuidamos da família e da casa, lidamos com novas emoções e interferências econômicas, mudanças laborais e sociais. Tudo isso levanta a atenção pra os indicadores do FIB. Alguns deles:

· Saúde mental e Dias Saudáveis (Saúde)

· Satisfação com a vida, emoções positivas e negativas (Bem-estar psicológico)

· Serviços públicos e Performance governamental/corporativa (Governança)

· Tempo em atividades e Tempo de Sono (Uso do Tempo)


Em tempos difíceis, escolher por estratégias que promovam qualidade de vida e bem-estar, é o início de uma jornada mais próspera no curto e longo prazo.

343 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2016 por Playfirst.

Conteúdo protegido por lei.

Siga a gente:

  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca Ícone Instagram
  • White Facebook Icon