Buscar
  • Thiago Giglio | Playfirst

2021: O ANO PARA INVESTIR NO BEM-ESTAR CORPORATIVO

Uma pesquisa recente da AVIVA (UK) apresentou alguns impactos da pandemia e do isolamento social sobre a relação emocional dos colaboradores com suas empresas. E como previsto, boa parte destes impactos demostram não só uma perda da motivação junto aos objetivos corporativos, como também deteriorou a percepção de valor que o profissional tem de si mesmo. Pontos críticos para empresas que desejam reter talentos e melhorar a produtividade sem causar burn-out e deficiências na saúde mental de seus talentos.


Segundo o resultado da pesquisa, apenas 15% concordam que seu empregador está tentando entender o que os motiva. E menos da metade dos funcionários (42%) acreditam em suas metas.


Veja mais dados no vídeo abaixo:


Números que são mais do que uma fotografia emocional do momento. Eles revelam uma cultura corporativa baseada em metas muitas vezes desconexas com a vida pessoal e mental, a qual têm sido encarada 24h por dia dentro de casa. O que motiva o funcionário além de uma campanha de incentivo e promoções? Como agregar um programa de bem-estar com metas emocionais associadas a metas de produtividade?


Toda empresa que deseja mudanças laborais e bons resultados necessita de um programa de Felicidade e bem-estar. Qualquer estratégia voltada para performance necessita de uma cultura que a sustente. Quando esta cultura não possui pilares que conectem os colaboradores a estados de bem-estar, as metas e ações ficam enfraquecidas.

O diagnóstico das condições de Felicidade e Bem-estar da organização além de dar visibilidade da situação atual, permite construir um plano estratégico de transformação cultural e processual, com ações focadas em potencializar não apenas o emocional do time, mas principalmente o mindset da corporação. Afinal, profissionais vão e vêm, a cultura da empresa fica.

2021 é o ano para investir nesta transformação e estabelecer os comportamentos-chave que irão favorecer tomadas de decisões conscientes e de acordo com o bem-estar do colaborador. Metas emocionais e de performance corporativa caminham juntas quando há um Programa que vise este equilíbrio organizacional.


Na Playfirst, desenvolvemos programas com ambos os focos: performance de resultado emocional e financeiro. Pensemos juntos.


26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo